CÓDIGO DA FONTE ESPECIAL: CÓDIGO BIBLIOTECA AJAX:

19 de janeiro de 2016

São Sebastião: Mártir peregrino da misericórdia, rogai por nós


A comunidade de Estreito, zona rural de Alto do Rodrigues/RN, vivencia mais uma festa de seu padroeiro, que tem como tema para refletir "São Sebastião: Mártir peregrino da misericórdia". E assim como
naquele tempo, houve um casamento em Caná da Galileia, o mesmo ocorreu em Estreito, todos na festa, presenciamos um casamento tendo como intercessor pela união, paz e amor entre os nubentes, São Sebastião.
A libertação do país (Jerusalém), para a construção da justiça, é dom de Deus, o parceiro (noivo) da Aliança. As sentinelas da cidade relembram essa fidelidade e gritam continuamente para que o noivo (Deus) venha logo desposar a noiva (Jerusalém). O grande presente de Deus para um país abençoado é usufruir dos frutos do trabalho através da partilha. A espoliação não deve ser substituída por outro tipo de opressão. Para que isso não aconteça, é necessário reconhecer que o dono da terra é Deus; esse reconhecimento explode em louvor. A economia sai do seu círculo vicioso e não se torna "camisa de força", mas gratuidade. É o presente do noivo para a noiva. 
Todos os povos são convidados a participar desse tipo de economia que exprime a gratuidade de Deus. Para um país viver na abundância, da qual todos possam participar, não é preciso espoliar outros países; ao contrário, os outros são convidados a fazer a mesma coisa: o banquete universal das núpcias de Deus com o seu povo. 

Naquele tempo, houve um casamento em Caná da Galileia. A mãe de Jesus estava presente. Também Jesus e seus discípulos tinham sido convidados para o casamento. 
Como o vinho veio a faltar, a mãe de Jesus lhe disse: “Eles não têm mais vinho”. Jesus respondeu-lhe: “Mulher, por que dizes isto a mim? Minha hora ainda não chegou”. Sua mãe disse aos que estavam servindo: “Fazei o que ele vos disser”.

Estavam seis talhas de pedra colocadas aí para a purificação que os judeus costumam fazer. Em cada uma delas cabiam mais ou menos cem litros. Jesus disse aos que estavam servindo: “Enchei as talhas de água”. Encheram-nas até a boca. Jesus disse: “Agora tirai e levai ao mestre-sala”. E eles levaram. O mestre-sala experimentou a água, que se tinha transformado em vinho. Ele não sabia de onde vinha, mas os que estavam servindo sabiam, pois eram eles que tinham tirado a água. O mestre-sala chamou então o noivo e lhe disse: “Todo mundo serve primeiro o vinho melhor e, quando os convidados já estão embriagados, serve o vinho menos bom. Mas tu guardaste o vinho bom até agora!”

Este foi o início dos sinais de Jesus. Ele o realizou em Caná da Galileia e manifestou a sua glória, e seus discípulos creram nele. - Palavra da Salvação.
 São Sebastião: Mártir peregrino da misericórdia. 
Rogai por nós

Nenhum comentário:

Postar um comentário