Festival de Prêmios

"Nada te perturbe, nada te amedronte. Tudo passa, a paciência tudo alcança. A quem tem Deus nada falta. Só Deus basta!!!

quarta-feira, 29 de julho de 2015

O amor é a nossa missão: A familia plenamente viva

A Pastoral  Familiar, juntamente com os grupos de orações da Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, em Alto do Rodrigues/RN, iniciaram a Semana da Família, do 6º Zonal da Arquidiocese de Natal.
Padre Marcelo Coutinho, dividiu em 4 setores, entre os grupos, com a proposta de levar as famílias ao encontro fraterno, de partilhas e reflexão sobre os ensinamentos e valores cristãos acerca da vida e  família.  
1ª Noite da Semana da Família, no setor do Largo do Clube, os responsáveis foram: Terço dos Homens, ECC, Pastoral da Saúde e Pastoral da Família. 
Que Nossa Senhora do Rosário interceda por nossas famílias e nos conserve sempre firmes no amor de seu filho Jesus Cristo.
Outro setor foi na Capela de São Francisco em Alto Alegre, tendo como responsáveis: Mãe Peregrina, RCC e Terço dos Homens.
Grupos de oração na Zona Rural, na Capela de São Francisco em Tabatinga.

Capela São Sebastião em Ponciana
A edição 2015 do "Hora da Família" está em sintonia com o tema do Encontro Mundial das Famílias, que ocorrerá no mês de setembro, na Filadélfia. Propõe para reflexão "O amor é a nossa missão: a família plenamente viva" e traz na capa do subsídio uma imagem do papa Francisco rodeado de crianças alegres com balões, celebrando a família.
 Hora da Família 2015  - Pastoral Familiar CNBB

segunda-feira, 27 de julho de 2015

17º Domingo do Tempo Comum 2015 – Domingo, 26 de julho

Neste Domingo, 26 de julho 2015, 17º Domingo do Tempo Comum,  a Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, Padre Marcelo Coutinho, Diácono Francisco e a Pastoral  Familiar deram inicio a abertura da Semana da Família.
A liturgia deste domingo,(26), nos apresentou o relato da multiplicação dos pães. Deus, em sua bondade, não quer o sofrimento de nenhum ser humano. A vitória sobre a fome é sinal do amor divino. Os discípulos missionários são convidados a anunciar este amor.
Salmo: Saciai os vossos filhos ó Senhor
 É justo o Senhor em seus caminhos.
João 6,1-15. Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes.“RECOLHEI OS PEDAÇOS QUE SOBRARAM, PARA QUE NADA SE PERCA”
  
Necessitados de força, de coragem, de sentido para a vida e de perseverança, participamos da ceia do Senhor onde se realiza entre nós a multiplicação dos pães.
Jesus, o Pão da vida, sacia nossa fome com a Palavra que nos revela o sentido da vida e com a ceia eucarística, sacramento da salvação, sinal e antecipação do banquete sem fim a que somos destinados.
Ele nos convida a abrir nossas mãos e nosso coração “que para tudo guardar se fecham” para gestos de partilha e solidariedade, a fim de vencermos nossas dificuldades, a fome e a miséria do mundo.
 Saciai vossos filhos e filhas, ó Senhor. 
 
"A família se realiza no amor" 
A eucaristia é o pão que sacia a necessidade que temos de alimento para conservar a vida, ter coragem perseverança e segurança; 
O pão que nos dá forças para superar as atribulações que existem e atormentam nossa vida. É a segurança de que Deus nos ama, e a certeza da Ressurreição; é Deus-conosco. 
“Para recebermos na verdade o Corpo e o Sangue de Cristo entregues por nós, devemos reconhecer Cristo nos mais pobres, seus irmãos” (cf. Mateus 25,40).
Aniversariantes dizimistas
A realização do milagre da multiplicação dos pães no banquete eucarístico nos desafia a partilhar e a lutar por novas formas de convivência, nas quais o pão cotidiano, por nós compartilhado, é sinal da vida em abundância que se encontra no Cristo.

domingo, 26 de julho de 2015

Santa Ana e São Joaquim - Dia dos avós - 26 de Julho


Avós de Jesus

26 de Julho - Santa Ana e São Joaquim

Ana e seu marido Joaquim já estavam com idade avançada e ainda não tinham filhos. O que, para os judeus de sua época, era quase um desgosto e uma vergonha também. Os motivos são óbvios, pois os judeus esperavam a chegada do messias, como previam as sagradas profecias.
Assim, toda esposa judia esperava que dela nascesse o Salvador e, para tanto, ela tinha de dispor das condições para servir de veículo aos desígnios de Deus, se assim ele o desejasse. Por isso a esterilidade causava sofrimento e vergonha, e é nessa situação constrangedora que vamos encontrar o casal.
Mas Ana e Joaquim não desistiram. Rezaram por muito e muito tempo até que, quando já estavam quase perdendo a esperança, Ana engravidou. Não se sabe muito sobre a vida deles, pois passaram a ser citados a partir do século II, mas pelos escritos apócrifos, que não são citados na Bíblia, porque se entende que não foram inspirados por Deus. E eles apenas revelam o nome dos pais da Virgem Maria, que seria a Mãe do Messias.
No Evangelho, Jesus disse: "Dos frutos conhecereis a planta". Assim, não foram precisos outros elementos para descrever-lhes a santidade, senão pelo exemplo de santidade da filha Maria. Afinal, Deus não escolheria filhos sem princípios ou dignidade para fazer deles o instrumento de sua ação.
Maria, ao nascer no dia 8 de setembro de um ano desconhecido, não só tirou dos ombros dos pais o peso de uma vida estéril, mas ainda recompensou-os pela fé, ao ser escolhida para, no futuro, ser a Mãe do Filho de Deus.
A princípio, apenas santa Ana era comemorada e, mesmo assim, em dias diferentes no Ocidente e no Oriente. Em 25 de julho pelos gregos e no dia seguinte pelos latinos. A partir de 1584, também são Joaquim passou a ser cultuado, no dia 20 de março. Só em 1913 a Igreja determinou que os avós de Jesus Cristo deviam ser celebrados juntos, no dia 26 de julho.
(Retirado do livro "Os Santos e os Beatos da Igreja do Ocidente e do Oriente", Paulinas  Editora)

Os sete Dons do Espírito Santo

Os sete Dons do Espírito Santo:
  • Sabedoria: Não a sabedoria do mundo, mas aquela que nos faz reconhecer e buscar a verdade, que é o próprio Deus: fonte da sabedoria. Verdade que encontramos na Bíblia
  • Entendimento: é o dom que nos faz aceitar as verdades reveladas por Deus.
  • Conselho: é a luz que nos dá o Espírito Santo, para distinguirmos o certo do errado, o verdadeiro do falso, e assim orientarmos acertadamente a nossa vida, e a de quem pede um conselho.
  • Ciência: Não é a ciência do mundo, mas a ciência de Deus. A verdade que é vida. por esse dom o Espírito Santo nos indica o caminho a seguir na realização da nossa vocação.
  • Fortaleza: é o dom da coragem para viver fielmente a fé no dia-a-dia, e até mesmo o martírio, se for preciso.
  • Piedade: é o dom pelo qual o Espírito Santo nos dá o gosto de amar e servir a Deus com alegria. Nesse dom nos é dado o sabor das coisas de Deus.
  • Temor de Deus:Temor aqui não significa "ter medo de Deus", mas um amor tão grande, que queima o coração de Respeito por Deus. Não é um pavor pela justiça divina, mas o receio de ofender ou desagradar a Deus                                                                                 

Sacramento da Crisma

A Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, vivenciou a missa Solene do Sacramento do Crisma, presidida por Dom Jaime Vieira Rocha, concelebrada por Padre Marcelo Coutinho e o Diácono Francisco, que ministraram a solenidade para 86 crismandos.
Crisma é o sacramento que, conferindo os dons do Espírito Santo em plenitude, inaugurado no batismo, põe o fiel no caminho da perfeição cristã e assim o faz passar da infância para a idade adulta, pois é o Sacramento da maturidade Cristã. 
Podemos dizer que a Crisma é o Sacramento da Confirmação do Batismo, é o Sacramento da Juventude. é o Sacramento por excelência do Espírito Santo.
Crisma é uma palavra grega que significa: óleo de ungir. A palavra Confirmação tem aqui o significado de fortalecimento, pois deve tornar o cristão “forte e robusto” no espírito.

Ungir é esfregar o óleo do Crisma na fronte do crismando em forma de cruz. Esse óleo usado na cerimônia de Crisma é consagrado na Missa da Quinta-Feira Santa.
Segundo a doutrina da Igreja Católica, o Crisma é um sacramento em que o fiel recebe através do rito de imposição das mãos pelo bispo e da unção com o óleo do Crisma, a confirmação do Batismo pelo Espírito Santo, na qual o fiel crismando é enviado ao mundo para testemunhar o Evangelho de Jesus Cristo em atos e palavras. O Crisma pertence, juntamente com o Batismo e a Eucaristia, aos três sacramentos da iniciação cristã. 
Três coisas são necessárias na administração da Crisma:

  • A imposição das mãos sobre a cabeça do crismando;
  • A unção com o óleo do Crisma na fronte do crismando;
  • As palavras que o Bispo diz: Recebe por este sinal os Dons do Espírito Santo, ao que o crismando responde: Amém.

Na celebração o Bispo faz essa Oração pedindo os Dons do Espírito Santo: “Deus Todo Poderoso que, pela água e pelo Espírito Santo, fizeste renascer estes vossos servos, libertando-os do pecado, enviando-lhes o Espírito Santo: dai-lhes, Senhor, o Espírito de Sabedoria e Inteligência, o Espírito de Conselho e Fortaleza, o Espírito de Ciência e Piedade, e enchei-os do Espírito do vosso Temor.”

O Sacramento da Crisma deve provocar no crismando aquilo que o Espírito Santo provocou naqueles que estavam no cenáculo no dia de Pentecostes. Atos dos Apóstolos 2, 1-47.

A confirmação nos dá, pois, o Espírito Santo para levarmos até a perfeição o que recebemos no Batismo. Chegar à perfeição segundo a vontade do Pai. Talvez possamos dizer que o Batismo constitui mais o aspecto estático ao passo que a Crisma expressa mais o aspecto dinâmico, evolutivo da vida cristã. Uma coisa é ser cristão simplesmente, outra é chegar a plenitude de santidade. Evoluir, é tomar novo impulso, crescer constantemente na vida iniciada no Batismo.


Catequistas
Não podemos permanecer semente; é preciso que a semente germine, cresça e dê frutos em abundância. (At 8, 14 - 19 – At 2, 1-47)
Missão do crismando

  • Ser bom fermento que leve da a massa.
  • Fomentar a caridade fraterna.
  • Comunicar aos outros o amor de Cristo que está nele.
  • Mostrar, com palavras e com atos, sua maturidade cristã e o desejo de sempre crescer até atingir a plenitude de Cristo.

Crisma não é um sacramento a mais, é o sacramento que faz o autêntico cristão. Ser cristão é comprometer-se com o Evangelho e ser coerente aos compromissos assumidos em relação a ele.
Fotos: Pascom e Sueldo fotografias
Texto fonte: http://www.vidacatolica.com.br/sacramento-crisma

terça-feira, 21 de julho de 2015

Local do batismo de Jesus declarado Patrimônio Mundial pela Unesco


Amã (RV) – Betânia, “na outra margem do Jordão”, o lugar onde foi batizado Jesus, foi inscrito na lista dos Patrimônios Mundiais da UNESCO. O local da  "inexplicável” manifestação que deu origem à vida pública de pregador de Nazaré foi por séculos um mistério histórico. Os Evangelhos são concordes em apontar o Rio Jordão, mas param nesta informação genérica. O único a precisar o lugar é o Evangelho de João, que fala de uma “Betânia além do Jordão”. A outra Betânia, pátria de Lázaro e de suas irmãs Marta e Maria, se encontra, por sua vez, nas proximidades de Jerusalém e não próximo ao rio.


Mosaico em Madaba
No século III, todavia, nenhum local nas proximidades do Jordão tinha este nome. Tanto que Orígenes se convenceu de um erro na transmissão do texto evangélico e propôs corrigi-lo substituindo Betânia por Bethabara, “onde se afirma que João batizava”. Esta variante se lê em diversos manuscritos evangélicos, enquanto o mesmo topônimo figura em um esplêndido mosaico do século VI descoberto em 1897 em Madaba (atual Jordânia), com a explicação em grego de que se tratava do “lugar do batismo de João”, diante de “Ainon onde agora é Sapsafas”, na margem oriental do rio. 
No mesmo local, a subida aos céus de Elias
Para além de toda esta questão textual, pelo menos a partir do final do século III devem ter-se iniciado as peregrinações na margem do Jordão, a poucos quilômetros ao norte do Mar Morto. Alí se dizia que Jesus havia sido batizado por João, não por acaso no mesmo local onde a tradição colocava a misteriosa subida de Elias aos céus. Desde então os testemunhos literários e monumentais se multiplicaram e guiaram as descobertas divulgadas pelo arqueólogo Michele Piccirillo – o pai Mateus dos romances de Franco Scaglia – sobre “o parque do batismo”. Nem todos, porém, estão de acordo. (JE/Osservatore Romano)

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Levantai-vos Jovem: Cristo é nossa Paz

Alto do Rodrigues - sobre o tema: "Levantai-vos Jovens: Cristo é nossa Paz"!, aconteceu  na quadra Omar Rodrigues Filho,  o IV Congresso Jovem, evento promovido pelos jovens da paroquia de Nossa Senhora do Rosário com a participação de vários movimentos religiosos da igreja católica, a Canção Nova e Jovens Sarados.
Belíssimo momento no IV Congresso Jovem. Como fez Zaqueu, nós também nos elevamos para poder ver Jesus, mas com Ele já no meio de nós, nos ajoelhamos para adorá-lo e pedirmos a paz entre todos nós.
O encerramento do IV Congresso Jovem aconteceu à noite, a partir das 18h, com a celebração da Santa Missa, com o Pároco Padre Marcelo Coutinho e o Diácono Francisco na quadra de esportes, com centenas de pessoas.
Fotos: Neto Barbosa, Keffas e Erivânia Cunha



















domingo, 19 de julho de 2015

Abertura do IV Congresso Jovem da igreja católica



Alto do Rodrigues - A igreja matriz de Nossa Senhora do Rosário iniciou na tarde deste sábado (18), a programação do IV Congresso de Jovens do município.

Um grande "arrastão cristã" tomou conta da Avenida Ângelo Varela repleta de crianças, adolescente, jovens, adultos, pessoas de todas as idades, anunciando o congresso que acontecerá na quadra Omar Rodrigues Filho, na Escola Municipal Walfredo Gurgel, a partir das 8 horas da manhã deste domingo (19).  À noite será celebra a santa missa a partir das 18h, culminando com o encerramento do congresso. 

Confira algumas imagens da abertura do evento.
Fonte: Panorama do Alto