2016, Ano da Misericórdia

"Um coração alegre faz tanto bem quanto os remédios."

domingo, 24 de abril de 2016

Formação para novos Coroinhas

Nossa atuante Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, realizou neste dia 23/04/2016,  formação para novos Coroinhas. 
O bom coroinha é aquele que exerce o serviço no altar com dedicação e piedade, sendo conhecedor de tudo que envolve o seu ministério. Mas um bom coroinha é também aquele menino ou menina que procura dar testemunho de vida em sua casa, na rua, na escola, com os amigos, enfim em todos os lugares onde se encontra. Por isso, podemos afirmar que o coroinha é chamado a servir no altar e na vida.

Ser coroinha não é privilégio. É um serviço, um ministério!
Algumas atitudes que são necessárias ao coroinha:
- Espírito de disponibilidade: estar sempre pronto para ajudar.
- Espírito sensível: estar atento as necessidades.
- Espírito de equipe: ninguém constrói nada sozinho, muito menos na Igreja e no Reino de Deus. Portanto, no grupo de coroinhas não deve haver competição, mas ajuda mútua, companheirismo e amizade.
- Espírito de fé: a missa é o momento mais forte da vida da comunidade. É ali que todos celebram suas vidas, suas lutas pela justiça e a fraternidade. Por isso o coroinha não está no altar fazendo um teatro. Ele/a está ali para ajudar a comunidade a rezar. Assim, deve participar da celebração com atenção e piedade.

  E, finalmente, nunca se esqueça de que o bom coroinha são aqueles que estão sempre conscientes de dignidade e responsabilidade. Jesus apreciará sua dedicação ao Reino de Deus!
 

Porta Santa no Santuário do Bom Jesus dos Navegantes, em Touros(RN)

Neste 21 de abril de 2016, Padre Francisco, seguiu com fiéis da Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, de Alto do Rodrigues/RN, vivenciaram peregrinação à Porta Santa da Misericórdia no Santuário do Bom Jesus dos Navegantes de  Touros(RN).

A Porta Santa será aberta até a conclusão do jubileu da Misericórdia, decretado pelo Papa Francisco, que vai até vinte de novembro de 2016.
Para o pároco, Edvaldo Alexandre de Brito, “a Porta Santa é o sinal extraordinário da graça de Deus, no Ano Santo da Misericórdia. Fomos privilegiados porque a nossa Igreja Santuário foi designada pelo nosso Bispo Dom Jaime, para ter a Porta Santa”.
Convido todos os católicos, todos os fiéis a se esforçarem para vivenciarem intensamente esse tempo da graça de Deus. A Porta Santa é um sinal que nos convida a passar pela verdadeira porta que é Jesus Cristo. Ele disse: - eu sou a porta pela qual passa as minhas ovelhas”, finalizou Padre Edvaldo.
Por que o Papa Francisco convocou este “Ano Santo”?
Há momentos em que somos chamados, de maneira ainda mais intensa, a fixar o olhar na misericórdia, para nos tornarmos nós mesmos sinal eficaz do agir do Pai. Foi por isso que proclamei um Jubileu Extraordinário da Misericórdia como tempo favorável para a Igreja, a fim de se tornar mais forte e eficaz o testemunho dos crentes”. (Papa Francisco, 11 de abril de 2015, Primeiras Vésperas do Domingo da Divina Misericórdia)
Em seguida visitaram Padre João dos Anjos da Paróquia de São Miguel Arcanjo, no município de São Miguel do Gostoso, Litoral Norte do estado.

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Com Santo Expedito, vivamos a misericórdia na alegria da missão

A comunidade católica de Mestre Severino, vivenciou a Festa alusiva a Santo Expedito, neste Ano da Misericórdia.
Programação da festa que teve como Tema: Com Santo Expedito, vivamos a misericórdia na alegria da missão
 

Arquidiocese recebe tijolo da Porta Santa da Basílica de São Pedro


Tijolo da Porta Santa da Basílica Vaticana, que será doado à Arquidiocese de Natal
Tijolo da Porta Santa da Basílica Vaticana, 
que será doado à Arquidiocese de Natal
A Arquidiocese de Natal foi uma das agraciadas, entre poucas, no mundo, com uma relíquia do Ano Santo da Misericórdia, proclamado pelo Papa Francisco, em 8 de dezembro de 2015. Trata-se de um tijolo autêntico da Porta Santa da Basílica de São Pedro, no Vaticano. A relíquia será entregue ao Arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha, no próximo domingo, 17, por ocasião da missa, na Catedral Metropolitana, às 19 horas. A entrega será feita pelo Padre Flávio Medeiros, do clero da Arquidiocese de Natal, e que reside no Estado do Vaticano, onde está a serviço da Basílica Papal de São Pedro. Junto com o tijolo, também será entregue uma carta enviada pelo Cardeal Ângelo Comastri, da Basílica Papal de São Pedro.
Segundo a tradição dos Papas, desde o século XIII, ao final de cada jubileu, celebrado na Igreja Católica, a mesma Porta Santa, na Basílica de São Pedro, é lacrada e só volta a ser aberta no jubileu seguinte. O tijolo enviado para a Arquidiocese de Natal é proveniente da Porta que havia sido fechada em 6 de janeiro de 2001, por São João Paulo II.
Na Arquidiocese de Natal, o tijolo ficará exposto, na Catedral Metropolitana, junto com objetos usados no 11º Congresso Eucarístico Nacional, sediado na capital potiguar, em 1991, e que contou com a presença do Papa João Paulo II.
Fonte http://arquidiocesedenatal.org.br/arquidiocese-recebe-tijolo-da-porta-santa-da-basilica-de-sao-pedro.html

domingo, 10 de abril de 2016

9º Aniversário do Terço dos Homens em Alto do Rodrigues/RN

O Movimento do Terço dos Homens Mãe Rainha em Alto do Rodrigues/RN, vivenciou neste domingo, 10 de abril de 2016, o seu 9º Aniversário. 
A concentração foi na Capela de São Francisco em Alto Alegre, as 6:30h, para acolher as caravanas vizinhas com café da manhã, em seguida saíram em procissão
A animação ficou por conta da Charanga de Cristo e o Diácono Cícero, em direção a Matriz de Nossa Senhora do Rosário, onde foi celebrada a Santa Missa as 9:00h com o Padre Francisco de Assis e cocelebrada pelo Diácono Cícero.

Após os parabéns e Consagração a Nossa Senhora, teve bolo no Salão Paroquial.

sábado, 2 de abril de 2016

53 anos de Emancipação Politica de Alto do Rodrigues


Padre Francisco de Assis, celebrou em 28 de março de 2016, missa solene em ação de graças pelos 53 anos de Emancipação Política de Alto do Rodrigues/RN. 
Em 1963, Alto do Rodrigues desmembrava-se de Pendências, tornando-se assim mais um município do Rio Grande do Norte. Localizado no Vale do Assu, limitando-se com os municípios de Pendências, Afonso Bezerra e Carnaubais, sendo banhado pelo rio  Açu.
Na homilia, padre Francisco, levou os fiéis a refletir sobre a história  e conquistas da cidade, e finalizou chamando a atenção para o momento de transformações, pois o Espírito Santo nos restaura. Que Ele desça sobre a nossa cidade, nossas autoridades, nossas famílias e nossos corações”.
“Nossa querida cidade comemora mais um aniversário de fundação. 
É um momento para todos nos alegrarmos. Que Nossa Senhora do Rosário, ilumine nossa gente com saúde, sabedoria, paz e amor.
Após cantar  os "parabéns", a Consagração a Nossa Senhora, cantou-se o hino do município como canto final.
A solenidade contou com a presença do prefeito Abelardo Rodrigues, a primeira dama, Rita, vice prefeita, Emília Patricia, presidente da Câmara Municipal, Nixon Baracho, secretários municipais, entre outras autoridades e munícipes.
O nome Alto do Rodrigues é uma homenagem à família de Joaquim Rodrigues Ferreira - fundador da cidade -, que instalou no Alto, em um casarão existente até os dias atuais. O fundador Joaquim Rodrigues, era bisavô do atual Prefeito Abelardo Rodrigues, que com gratidão a Deus pelo progresso alcançado, veio render graças pelos 53 anos de emancipação política, com as bênçãos  da padroeira Nossa Senhora do Rosário, tendo como presidente da celebração Padre Francisco de Assis. 
A bandeira com seu brasão representando o símbolo municipal, que trás o casarão histórico do município, seu solo fértil e o cavalinho do petróleo.
 
Fotos: Neto Barbosa, Agente Pascom

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Páscoa da Ressurreição do Senhor

A Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, vivenciou a data mais importante do calendário cristão a Páscoa da Ressurreição do Senhor, tendo como presidente da celebração Padre Francisco de Assis. 
É o Dia do Sacrifício Redentor de Nosso Senhor Jesus Cristo pela salvação de nossas almas; da Consumação das Sagradas Escrituras; do cumprimento do Plano divino de Salvação; dia em que ganhamos, de presente, por Amor e por Graça, a Vida eterna.
Estamos entrando no momento máximo da História da Igreja, quando ela inteira (nós) renova sua espiritualidade e sua fé. Após a santa Semana, que começou contemplativa, seguiu introspectiva e se encerrou em grande festa, podemos enfim entoar, abrasados de santo Amor, com nossa almas repletas de devoção e gratidão: Glória!
Na expectativa do Domingo da Páscoa e da Ressurreição do Senhor, vivemos quarenta dias de contrição, interiorização, abstinências e penitência, para comemorar enfim a grande Vitória sobre o pecado e a morte. Vencendo as forças das

trevas, Jesus ressurge triunfal, para nos garantir a vida eterna! Antes do momento de celebrar nossa imensa alegria de sermos cristãos, por sermos católicos e por termos sido feitos filhos de Deus, tivemos que reviver a Paixão e pavorosa Morte do Senhor , mas, agora, afinal, refulge a Luz!  Luz que irrompe na escuridão, Luz que vence todas as mortes, que ilumina todos os caminhos. Na beleza de uma igreja às escuras, na celebração do Sábado Santo, na Vigília Pascal que começa do lado de fora, com a Benção do Fogo e o acender do Círio Pascal. Sua luz passou de vela
em vela, pelas mãos dos irmãos de fé. Afinal, depois do longo período de recolhimento da Quaresma, a Igreja toda se ilumina! É chegada a hora de celebrar a Ressurreição e a Vida!   O Círio Pascal está aceso! Chegou o tempo da alegria, de cantar Glórias e Aleluias, de nos sentirmos vivos e felizes, de entender que fomos feitos filhos e filhas de Deus, que a morte foi vencida para sempre e que todo o sofrimento da Cruz, juntamente com todas as nossas dificuldades, tiveram e têm um propósito maior. Propósito que na aurora deste dia se cumpriu plenamente!  
A Homilia da noite do "Sábado de Aleluia" é sempre carregada de sentido, de verdade e de esperança. Diz que Jesus nos precedeu no Céu, que foi à nossa frente... E que nós temos que ser como as pessoas daquela primeira hora da manhã da Páscoa, primeiro dia da semana, o Domingo da Ressurreição do Senhor. 
Deus é o Senhor do impossível! Afinal, podemos nos saciar da mais pura e exultante Alegria, diretamente nas Fontes da Salvação! Luz da Luz, iluminai nossos caminhos! É festa! O Senhor Ressuscitou! ALELUIA
http://www.ofielcatolico.com.br/2005

quarta-feira, 30 de março de 2016

Santo Sábado de Aleluia ou Vigília Pascal

Com o soar da trombeta, os fieis saem da matriz, as luzes estavam todas apagadas. Do lado de fora Padre Francisco,   abençoa a fogueira, recolhe brasas bentas e as coloca no turíbulo. A pedra representa Cristo, "a pedra angular" que, sob os golpes da cruz, jorrou sobre nós o Espírito Santo.
O fogo novo, representativo da Ressurreição de Nosso Senhor, luz Divina apagada por três dias, que há de aparecer ao pé do túmulo de Cristo e resplandecerá no Dia da Ressurreição. 

Deve ser novo este fogo, porque Nosso Senhor, simbolizado por ele, acaba de sair do túmulo. Essa cerimônia era conhecida nos primeiros séculos da cristandade. Tem sua origem no costume romano de iluminar a noite com muitas lâmpadas. Essas lâmpadas passam a ser símbolo do Senhor Ressuscitado, que surge de dentro da noite da morte.
Essa cerimônia era conhecida nos primeiros séculos da cristandade. Tem sua origem no costume romano de iluminar a noite com muitas lâmpadas. Essas lâmpadas passam a ser símbolo do Senhor Ressuscitado, que surge de dentro da noite da morte.
Após a cerimônia de preparação do Círio Pascal, é ele solenemente introduzido no templo pelo diácono que, por três vezes, ao longo do cortejo, canta elevando sucessivamente o tom: "Eis a luz de Cristo" (Lumen Christi). O coro responde: "Graças a Deus" (Deo Gratias). Em cada parada vão se acendendo as velas.
na segunda parada, feita no meio do corredor central, são acesas as velas dos clérigos; na terceira vez, por fim, se acendem as velas dos assistentes, que comunicam as chamas do Círio bento até toda a igreja estar iluminada.
As velas são acesas no Círio Pascal, pois nossa luz vem de Cristo. O diácono é mensageiro e arauto da boa nova: anuncia ao povo a Ressurreição de Cristo, como outrora o Anjo às santas mulheres.
Enviai o vosso Espírito, Senhor, e da terra toda a face renovai
Guardai-me ó Deus porque em vós me refugio!
Cantemos ao Senhor que fez brilhar a tua glória!
Eu vos exalto, ó Senhor por que vós me livrastes!
Com alegria bebereis do manancial da salvação.
"Senhor, tens palavras de vida eterna"
Nos primórdios da Igreja, aproximavam-se os catecúmenos para receberem o Batismo. A fim de ocupar a atenção dos fiéis e para a maior instrução dos catecúmenos, liam-se na tribuna passagens da Sagrada Escritura apropriados ao ato.
Após a sétima leitura, são acessas as velas do Altar a partir do Círio Pascal, canta-se o Gloria, com acompanhamento de instrumentos musicais, sinos e uma grande queima de fogos, que ficaram calados durante todo o Tríduo sagrado. 


A Igreja, portanto, entra inteira na alegria pascal. Logo em seguida é feita a primeira leitura do Novo Testamento (Rm 6,3-11), que é sobre o Batismo.
Após o término das leituras, entoa o canto solene do "Aleluia", quebrando o clima de tristeza e contrição que acompanhava todo o tempo da Quaresma. Esse canto solene, repetido gradativamente três vezes em tom cada vez mais alto, representa a saída de Cristo da sepultura e expressa o crescente júbilo pela Vitória do Salvador.
A aspersão dos fiéis pelo celebrante, avançando através da igreja, com a água acabada de benzer, recorda a antiga cerimônia. Depois canta-se a Ladainha de Todos os Santos, recordando os que viveram com fidelidade a Graça Batismal. 

O final do Sábado Santo, com seus três aspectos do mesmo e único Mistério Pascal: Morte, Sepultamento e Ressurreição de Jesus, está no ápice do Tríduo Pascal. Primeiro está a Morte na Sexta-feira; depois Jesus no túmulo, no Sábado; e, em seguida, a Ressurreição, no Domingo, iniciada, porém, na noite de Sábado, por isso dito "Sábado de Aleluia", na Vigília Pascal.
A Missa do Sábado Santo é a primeira das duas cantadas na Páscoa. Esta Celebração ostenta o caráter de extremo júbilo e magnificência, em forte contraste com a mágoa intensa da Sexta-feira Santa. Vemos agora os Altares e os dignatários paramentados, em grande gala. Ecoam as notas alegres do Gloria, unidas ao eco dos sino e fogos,  festivos! 

O Aleluia, não mais ouvido desde o início da Quaresma, ressurge após a Epístola. – Essa é, na realidade a Missa da madrugada da Páscoa. Nesta solenidade, além do batismo dos adultos(Catecúmeno),  alguns cristãos receberam a Primeira Eucaristia, pela primeira vez, o ‘corpo e o sangue de Cristo’ na forma de pão e vinho.
E por fim a tão esperada Comunhão Pascal, na qual rendemos ação de graças à Nosso Senhor, por sua Gloriosa Ressurreição, na esperança de que possamos também nós ressurgir como Ele para a vida eterna.
Esta noite é "uma vigília em honra do Senhor" (Ex 12,42). Assim ouvindo a advertência de Nosso Senhor no Evangelho (Lc 12, 35), aguardamos o retorno do Cristo, tendo nas mãos velas acesas, para que ao voltar nos encontre vigilantes e nos faça sentar à sua Mesa.
"Eu Sou a Luz do mundo. Quem me segue não anda nas trevas, mas terá a Luz da Vida" (Jo 8,12; Jo 9,5; 12,46).
E lembramos que por vocação todo cristão é chamado a ser também luz, como Ele mesmo nos diz: "Vós sois a luz do mundo. Que, portanto, brilhe vossa luz diante dos homens, para que as pessoas vejam vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai, que está nos Céus!" (Mt 5,14.16).
Fonte: O fiel católico
F